• Veja também as capas anteriores!

  • Políticas do Ambidestria

    O Ambidestria todo está sob licença Creative Commons. Em caso de citação, não se esqueça de mencionar o nome do autor do post e o link direto para o post em questão. Não são permitidas alterações do texto.

    Veja mais detalhes na página de Políticas
  • Arquivo

  • Arquivo Especiais

    Especial FLIP 2008
    Com Carolina Lara e Jacqueline Lafloufa
  • Acesso para autores

Das mutações prosaicas I

Nominais

Realidade difusa
Sem traço sem rua
Nua na chuva
Desce a ladeira.

O piano sem notas
O reflexo na face
Os olhos se fundem
Numa escolha sem data.

Areia no mar
Embriaguez esquecida
Ladeira sem nome
Sem eira nem beira
Nem letra enrustida.

Ramos sem árvores
A ventania crescente
Frases formadas
Escassas de gentes.

O relógio parado:
É hora! Sem tempo.
Desce na ida na vida
Desregrada no centro.

Abra a janela:
É a nua que passa!
Sem dono sem fala
Só massa e carcaça
Desossada ao relento.

Melodia formada
Ladeira envolvente
Sem rima sem nada
Termina descrente.

Nua na rua,
Difusa sem nome
Sem traço na chuva
Sobe a ladeira.

Anúncios

2 Respostas

  1. muito gostoso de ler!

    a estrofe:
    “Abra a janela:
    É a nua que passa!
    Sem dono sem fala
    Só massa e carcaça
    Desossada ao relento.” é maravilhosa!

  2. Sem dúvida. Essa moça tem talento! Mas estou com saudades dos monólogos de médicos malucos,rs. Acho que a Isabella tem condições de fazer mais do que isso, rs. Estou curioso para ver o que vem por aí…
    Parabéns!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: