• Veja também as capas anteriores!

  • Políticas do Ambidestria

    O Ambidestria todo está sob licença Creative Commons. Em caso de citação, não se esqueça de mencionar o nome do autor do post e o link direto para o post em questão. Não são permitidas alterações do texto.

    Veja mais detalhes na página de Políticas
  • Arquivo

  • Arquivo Especiais

    Especial FLIP 2008
    Com Carolina Lara e Jacqueline Lafloufa
  • Acesso para autores

Saúde!

As Indesejadas das Gentes chegaram. Talvez tenhamos medo. Talvez sorriremos, ou também diremos:

– Alô, iniludível!

E cada coisa estará em seu lugar. Cada pessoa estará em seu lugar. Ao Médico cabe, então, deslocar-se a uma aldeia a dez milhas de distância onde o espera um doente em grave estado.

O doente, desenganado à espera da grande chegada, escreve. A doença, vitoriosa, apropria-se do papel.

Estamos numa dança cíclica. O dançarino entra e sai, não deixa o círculo. Avança para o mal, mergulha num ritmo que loucamente parece representar a Doença, mais, muito mais que a dança. E o coração enche-se de mais fel, o mundo de mais cinzas, a vida de mais das mesmas enfermidades. É essa mesma vida-doença que, em svevianas-palavras, “avança por crises e deterioração progressiva e tem melhoras e agravamentos quotidianos. Porém, ao contrário das outras doenças, a vida é sempre mortal. Não admite tratamento.” Tratemos dela aqui, então.

Anúncios

7 Respostas

  1. Que bom não ser o único a falar de dança num mundo letrado que guardou a palavra e perdeu o movimento.

    Obrigado, seja bem-vinda também e caminhemos (rememos) juntos! hehehe

    Um beijo
    Raoni

  2. dezessete milhões de pontos pra voce. eu amava já o título, e da sua capacidade eu obviamente sempre estive ciente, mas vai além do esperado. sempre e muito além. grandioso. grandioso no estilo guimarães rosa e – goste vc dele ou nao, é preciso reconhecer o elogio…

    minhas palmas e minha vontade de ler o primeiro futuro post.
    =*

  3. Bom, o que eu devo dizer???? Estamos a um passo de descobrir que….. o que é mesmo que a gente tava procurando??? Adoro essa dúvida, essa dança mórbida que é muito mais sublime e bela que qualquer Celine Dion (?). Tropicar com o dedão no chão dói pra ………, mas o sangue é tão bonito!
    Hum, era isso, parabensão!!!!

  4. isa…
    parabéns!!!
    não apenas pelas palavras e modo único com o qual você escreve,
    não apenas pelo olhar crítico que você descreve,
    não apenas pelo observar de mundo que você tem,
    mas pela coragem e capacidade única de assumir quem você é…
    nunca se perca pois o mundo precisa de você…
    não sei se o mundo todo,mas o meu sim…

    =*

  5. dança cíclica… ou clínica?

    sveviana ou kafkiana, avante!

  6. Texto muito interressante pq nos lembra como constantes presentes em uma desapercebida existência se fazem tão variadas nessa ” vida sempre mortal”, parabéns continue assim!

  7. Parabéns pelo texto, Muito bom mesmo !
    Presente e futuro realmente se misturam, a espera ainda é grande.

    Porém, ao contrário das outras doenças, a vida é sempre mortal. Não admite tratamento.” Tratemos dela aqui, então. [2] Perfeito !

    Nota MOL ;D~

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: