• Veja também as capas anteriores!

  • Políticas do Ambidestria

    O Ambidestria todo está sob licença Creative Commons. Em caso de citação, não se esqueça de mencionar o nome do autor do post e o link direto para o post em questão. Não são permitidas alterações do texto.

    Veja mais detalhes na página de Políticas
  • Arquivo

  • Arquivo Especiais

    Especial FLIP 2008
    Com Carolina Lara e Jacqueline Lafloufa
  • Acesso para autores

Papel do Passado: O porquê da História em Código Da Vinci

No filme “O Código da Vinci” o personagem de Tom Hanks, um professor de Simbologia, sabendo a importância que têm as Histórias que os Homens contam para si e para os outros, solta uma frase de efeito radical que contém a grande porrada que, normalmente, o filme pode dar em qualquer um: “Aprendemos História para que o Homem pare de se matar”. Essa frase mostra a importância e a mudança que talvez teria o simples fato do Homem saber mais de algumas Histórias das quais, de certa forma, ele já tem informações, sabe uma ou outra versão, são senso comum, e nas quais crê, muitas vezes, cegamente. Algumas dessas possíveis mudanças a partir de um conhecimento histórico, o filme propõe-nos, aconteceriam nas relações de poder, ao sabermos mais do que a História de Jesus Cristo contada comumente, muitas vezes resumida e fragmentada – o qual, segundo o filme, teria tido uma filha, o que, de primeira, nos leva a questionarmos a sua divindade colocada pela Igreja Católica e outras poderosas igrejas. Mudanças aconteceriam também quanto à valorização da mulher, se muitos de nós soubéssemos mais da suposta importância de uma mulher para a História, Maria Madalena.

Apesar desse filme ser apenas em parte um exemplo do “Papel do Passado” – por ter afirmações polêmicas que, dizem muitos estudiosos, serem infundadas na História e fundadas mais na ficção – ele mostra bem o balançar de pilares históricos, que sentimos ruir dentro de nós mesmos enquanto vemos o filme, mostra como naturalmente nos requestionamos, repensamos tantas coisas que já dissemos ou nos disseram em outros momentos de nossas vidas, mostra como é possível quebrarmos tabus, mas como, normalmente, o fazemos apenas quando temos informações novas, e que, curiosamente, provêem sempre do passado.

É mais ou menos desses assuntos tocados aqui – e da forma como aconteceu aqui, deixando o passado vir nos arrebatar – que trataremos na coluna “Papel do Passado”, através de nossos contos, crônicas, nossas poesias, ensaios e da forma que der na telha…

Anúncios

6 Respostas

  1. Grande Werner, prezados “Geraldinos”:

    Parabéns pela ótima idéia de compilar os trabalhos de vocês num único lugar, disponível pra quem quiser ver. É bom ler algo que foge dos números, ações, ativos, passivos e chatices do dia-a-dia empresarial.

    Estarei acompanhando, sempre que possível.

    Ressalto que gostei muito do pouco que li até agora. Parabéns a todos!

    Abçs,
    Phill

  2. Ansiosa para novas histórias vindas num velho e amassado papel: são as mais cativantes! Parabéns Werner! Sejamos bem-vindos!

  3. Parabéns pela idéia genial. Adorei ler o seu miniconto e é simplesmente maravilhoso relembrar o passado. Você sabe disso melhor do que eu, né? Quando conversamos e começamos a relembrar tudo o que aprontamos é inusitado…..se deixar passamos a noite toda relembrando.

    “Recordar é viver”

    Constantemente visitarei esse espaço maravilhoso e mais uma vez PARABÉNS à todos pela grande idéia. Realmente você puxou a sua irmã.

    Abraços,

    Paty

  4. JEP o amigão do Werner Garbers

    A você Werner Garbers, que tantas dificuldades venceu, meus parabéns por utilizar com tanta propriedade o espaço oferecido pela UNICAMP, votos sinceros de uma carreira brilhante, regada de muito sucesso e êxito, que a sorte seja sempre sua eterna companheira e que Deus ilumine sempre seus caminhos e de seus colegas da UNICAMP.

    Congratulações aos alunos do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) por esta iniciativa brilhante de criar o Ambidestria que certamente contribuirá para o enriquecimento cultural de todos.

    No seu Miniconto você esqueceu de dizer que seu amigo JEP é campeão de snoocker, pebolim, dama e carteado, e que você vive tentando ganhar dele, mas infelizmente nunca conseguiu, e isso, acabou deixando você extremamente aborrecido, ao ponto de esquecer de falar que ele lhe chamava de Sassá Mutema.
    Um grande abraço do teu amigo JEP

  5. Inesquecível! Tanto essa história q vc lembrou qto a sua presença aqui! Valeu bj e ja até mudei o miniconto do perfil hehe…

  6. Ô Pretinhu! Gostei de td que vc escreveu… vim fazer em público o que já faço direto intimamente: te elogiar e admirar… Gosto de ver vc falando do passado… agente se conheceu contando histórias… Eu vou parar por aqui pq meus comentários são suspeitos… eh lógico que eu ia adorar ver quem é meu presente falando de passado… Pra vc, meu lindo, eu dou de oferenda meu futuro (vc sabe disso!)

    PS: viw, eu me rendi aos sites e a essas págs de comentários… hehehe… meu burocratazinho gostoso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: